GABRIELLE CHANEL

Hoje, 10.01.12, está fazendo 41 anos que Chanel se foi, em 1971, no quarto que ocupou por mais de 30 anos no Hotel Ritz em Paris.
Foi num dia de domingo, que ela não gostava, pois era dia de descanso...
Gabrielle “Coco” Chanel realmente revolucionou o mundo da moda, seu olhar era diferente de tudo o que já havia sido apresentado até então, especialmente por ser libertador. Detestava os excessos usados pela maioria esmagadora das mulheres, chamava os grandes chapéus usados por elas na época, por exemplo, de merengues, e tinha razão.
Tenho muita admiração por sua personalidade forte, rigor, perseverança e seu trabalho excepcional!
Uso a marca Chanel com satisfação, especialmente pela forma como foi construída, é o que falo aqui sempre, o uso pelo uso de qualquer marca, pela ostentação pura e simples é cafona e ultrapassado, precisamos sim, entender o porquê pagamos tanto por um produto, o que ele representa, aí sim, aparentaremos naturalidade e elegância ao usá-lo.
Chanel exemplifica exatamente o que sempre procuro transmitir p/ vcs aqui no blog, que imprimam suas personalidades ao que vestirem, avaliem as novas propostas sempre a favor de vcs, busquem o diferente, o inusitado, e sempre serão destaques positivos no meio da padronização. Isso é ser vanguarda, isso é fazer a diferença, isso é ter estilo!
Sugiro que assistam o filme “Coco antes de Chanel”, é imperdível!A cena do baile no Cassino é o exemplo perfeito do que eu quis dizer no parágrafo acima, num mar de mulheres vestidas de forma igual, ao sabor do que era modismo na época surge ela no salão e...bom, não vou descrever a cena p/ não perder a graça. Abaixo o trailer do filme.



Também o livro “A era Chanel”, de Edmonde Charles-Roux, é leitura obrigatória para quem quer aumentar o conhecimento sobre a estilista. Esse é um dos meus livros preferidos, até já fiz um post sobre ele aqui. Um dos trechos que mais gosto, as fls. 367, retrata a exigência dela em dar conforto as mulheres, condenando ferozmente a estética de outro tempo, qdo as mesmas eram aprisionadas em espartilhos e barbatanas, dizia “de que maneira, vestida com esses trecos, elas podiam ir, vir, viver...”, como conseqüência nasceu o estilo Chanel, seu único orgulho, “Não gosto que falem de moda Chanel. Chanel é antes de tudo um estilo. A moda sai de moda, o estilo, jamais.”
Nas fotos abaixo, a Maison da Rue Cambon, 31, Paris e uma das vitrines da última semana. Infelizmente não é possível fotos no interior da loja.



Bom, mudando de assunto, não posso deixar de falar que hoje começam as Fashion Weeks da vida, primeiro as cariocas, logo depois a paulista e por aí vai. E novas tendências serão apresentadas, como de costume. Procurem ver esses eventos de forma diferente, não saiam correndo guardando tudo o q/ usaram na última estação e enchendo o armoire só com peças que serão a tendência da hora.
Lembrem-se que qdo o que é mostrado nas passarelas ganha as ruas, traz como conseqüência a massificação, e vcs querem ser mais uma na multidão, ou usar o novo de forma favorável?
Então procurem ver os desfiles e coleções como novas propostas, de que forma aquelas peças podem se adequar ao estilo pessoal de cada uma de vcs? Como usar o novo sem parecer manequim de boutique? O acham que será atemporal p/ vcs? No que vale a pena investir? Refinem o olhar meninas, aproveitem o que de melhor a moda tem a oferecer e tenham a personalidade de só usar o que realmente gostam, pois isso sim é admirável!
Dica de LLuxo.
Beijos.

Comentários