UM POUQUINHO SOBRE A HISTÓRIA DA BOLSA...

Meninas, como estou envolvida desde ontem com um trabalho que estou fazendo para a disciplina Design e Moda da minha Pós-Graduação em Design de Moda (SENAI/CETIQT) no qual conto a história da nossa amada bolsa, resolvi fazer um post sobre o tema, mas claro, um resumo do que escrevi p/ não ficar cansativo...



"A bolsa não tem uma data de criação definida, mas podemos citar que a mais antiga já encontrada data do século V e foi encontrada em Cítia (antiga região na Eurásia) e era usada na cintura. 
Desde o Coliseu romano até as Cruzadas, a bolsa usada por homens e mulheres era uma espécie de porta-moedas amarradinho com um cordão.
No século XIII-XV eram usadas penduradas à cintura ou ancas e se destacavam sobre os corpetes ornamentados da época.
Na Idade Média eram andróginas, com pequenas variações para homens e mulheres.
O desejo feminino pela bolsa começou com a escarcela, muito ornamentado e vistoso, o pequeno porta-moedas era considerado luxuoso. Quanto menor maior o sinônimo de classe. As grandes a tiracolo ou levadas sobre os ombros eram somente para as camponesas e sugeriam um duro dia de trabalho.
No século XVII o destaque eram as bonitas bolsas em forma de pêra, amarradas na cintura e usadas em par, pareciam bolsos, mas não faziam parte dos vestidos. Já os homens a usavam costuradas e a partir de então, a história da bolsa divide os sexos e as mulheres nunca mais renunciaram a liberdade de carregar seus objetos nas bolsinhas.
Nos idos de 1790, como surgimento dos vestidos império em Paris, as bolsas saíram da cintura para serem carregadas pelas mãos. Não foi fácil. O ato de levar a bolsa na mão por uma alça de cordão como corrente, chamadas “retículas” (em latim reticulum), causou estranheza e impacto e a imprensa francesa a renomeou-as de “ridículos”, o que durou até aproximadamente 1805, quando o acessório tornou-se estritamente feminino.
Mas a primeira bolsa genuína surgiu no século XIX, na década de 60, foi inspirada na bagagem de mão, uma espécie de maleta em miniatura, com fecho e chave, o que possibilitou as mulheres levarem seus objetos de forma oculta e segura.
Os maridos, que até então carregavam o leque e dinheiro das esposas tornaram-se obsoletos nessa função. Principalmente após Elsa Schiaparelli ter lançado a bolsa Lanterne, onde eram levados cosméticos, chaves, dinheiro, cigarros e...lanterna.
Com a emancipação da mulher a bolsa se desenvolveu de forma rápida e fabulosa, inúmeras são as criações, vários são os estilos, materiais, cores, enfim, atualmente existe uma gama de possibilidades e o desejo de se adquirir uma coleção delas aumenta proporcionalmente as novidades oferecidas diariamente pelo mercado modal".
*Fonte de Pesquisa: Johnson, Anna. “Malas. O poder de um acessório.” Ed. H.F.Ullmann, 2002.



Foto e edição by LL, SP, 31.08.11.
Bolsa Prada (Maison Elan).
Post sobre bolsas ícones aqui.
Beijos LLuxuosos!

Comentários